Transformers: War for Cybertron (PS3)

Os que acompanham o blog bem podem testemunhar, desde o início deste ano que eu tenho ficado obcecado com a estreia do jogo. War for Cybertron é, sem via das dúvidas, o jogo que eu tenho esperado mais até ao momento. Claro, este ano vai ser um ano forte em jogos, mas mesmo com Star Wars: Force Unleashed II, Killzone 3, Call of Duty: Black Ops e muitos outros jogos que eu também tenho aguardado bastante, menhum pareceu bater a ansiedade de War for Cybertron. E finalmente, junto com um bonequinho exclusivo do Starscream (Na qual eu falei há 2 posts atrás) eu recebi o jogo em mãos, tendo a passar os meus últimos dias por Cybertron.

E então, será que o jogo é tudo o que eu e os outros fãns realmente esperávamos? Será finalmente aquele jogo da franquia que tanto esperámos? Ou é apenas uma grande desilusão que nos fará perguntar o que raios passou pela cabeça da Activision quando formou este produto? Ou será apenas um produto mediano que não passa de “mais um” na saga?

“The thruth is out there“… Ou também nos próximos parágrafos!  Leremos e desvendaremos o mistério…

Tal como o nome já leva a entender, o jogo decorre em Cybertron, acompanhando os primeiros momentos do grande conflito entre os Autobots e os Decepticons, mostrando coisas importantes como o primeiro encontro entre Optimus e Bumblebee, o nascimento da rivalidade entre Starscream e Megatron e até o momento em que Optimus finalmente torna-se O Optimus PRIME! Ou seja, mesmo não sendo um jogo que acompanha exactamente o começo de toda a batalha, ainda demonstra bastante sobre os primeiros passos da mesma.

A apresentação da história é exelente, existem bastantas cutscenes e diálogos entre os personagens durante o jogo em si e é irresistível não assistir a todas as introduções de cada missão. Até os pequenos vídeos entre a maioria dos checkpoints ou as falas dos personagens uns com os outros durante a acção são exelentes, expressando bastante originalidade e por muitas vezes situações impressionantes que não funcionariam sem o diverso “blá blá blá” dos momentos.

Quanto aos gráficos, têm os seus pontos altos e baixos. A construção das missões é bastante aceitável, tendo cenários com um ótimo nível de detalhamento. Os robôs também são bemconstruídos, tendo detalhamento também o surficiente para embasbacar a maioria dos jogadores- Confiem em mim, as transformações são fantásticas! O ponto baixo é que ás vezes o texturamento dos gráficos demora bastante a carregar (Ou pelo menos na versão de PS3) e ás vezes costuma acontecer em algumas cutscenes que supostamente deveriam ser estoirantes não carregarem bem, e acabar com uma péssima definição gráfica dos personagens que embora seja em curtos momentos de tempo, chega a estragar um pouco o ambiente da acção do jogo.

Transformers: War for Cybertron Picture

A jogabildiade, indiferente de qualquer outro jogo da saga, é um 3rd person shooter. E não me refiro a um 3rd person shooter como alguns consideram outros jogos da franquia, refirmo-me a um 3rd person shooter Á SÉRIA, com armas que possam ser apanhadas pelo caminho, reloads, munições limitadas e uma acção frenética. Confiem em mim, é espetacular estar atrás do gatilho (Ainda pra mais com armas automáticas, essas são espetaculares) e encher os inimgos de balas. É algo como a sensação de Gears of War, de encher os inimigos de balas até observar a sua eventual derrota, só que com os robôs que tanto adoramos!

Apezar de que, eu devo admitir, mesmo que as munições limitadas incluam algum realismo no jogo, normalmente isso pode ser bastante chato. Tal como eu disse acima, a acção é estoirante, e confiem em mim: Nada é mais irritante do que estar a ownar os inimigos com uma minigun em um momento de awesomeness total, a vê-los explodirem em pedaços 1 por 1 e de repente, no meio de tantos “awesomes”, acabam as munições do jogador, forçando-se assim a procurar pelo mapa mais unições enquanto toda a acção, explosão e batalha ocorre nas costas do jogador. Mas de resto nem chega a ser algo REALMENTE incomodante, logo esse é um detalhe que pode ser facilmente passado em branco após o jogador ir apanhando pouco a pouco as técnicas par aguardar munições.

O jogador também pode transformar-se em 98% dos momentos do jogo (Sendo os 2% restantes em raríssimas áreas baixas ou apertadas onde realmetne não é possível ocorrer uma transformação pela falta de espaço, tal como também em alguns outros jogos da saga) e verdade seja dita, o jogador vai passar bastante tempo a transformar-se durante o jogo. As armas também variam do modo veículo para o modo robô, e isso sem contar que se o modo veículo for algum carro ou veículo pesado o jogador pode simplesmenteir atropelando os adversários que encontrar pelo caminho, tal como também pode entrar em hoover mode “planar”- Mais ou menos como o Delorean- O que é realmente uma adição verdadeiramente intressante. Obviamente, como em qualquer jogo de Transformers, também existem jatos, e verdade seja dita, voar com eles é de lonje uma das cosias mais espetaculares no jogo. A segunda missão Decepticon fala por si…

Transformers: War for Cybertron Picture

Além do modo de campanha, também existe um modo de campanha coperativa, onde são as mesmas missões da campanha normal MAS jogadas online em equipas de jogadores, modo esse que eu ainda não testei… Mas por outro lado já testei grande parte do multiplayer.

E como é o multiplayer? Certamente um dos principais pontos fortes do jogo.

Bem, no geral o modo online é basicamente um Call of Duty com robôs gigantes, com armas e perks que se desbloqueiam, killstreak rewards. etc. Dá pra o jogador desenvolver o seu próprio (Ou os seous próprios) personagens podendo escolher entre diversas classes, entre os mais variados estilos de robôs e veículos, defenir as suas armas e “power ups” e até personalizar as cores dos personagens! Claro, não esperem que o multiplayer seja a mesma coisa que as campanhas, onde por cada jogo matam-se 100 personagens de uma vêz- Aqui compete-se contra jogadores obviamente reais, e quando se começa a jogar online pelas primeiras vezes excusado será dizer que jgoos cheios de mortes consequentes são bastante previsíveis- Mas não se preocupem, após se evoluir os personagens do jogador e ir ganhando mais prática, as coisas melhoram! Logo, não se deixem abater pelos primeiros jogos de apenas 2 ou 3 inimigos mortos e 20 vezes destruído pelos oponentes, é apenas o começo… E confiem em mim, após se saber as armas certas e os momentos certos o multiplayer torna-se extremamente fácil, e posso garantir isso em algumas horinhas de prática.

E sim, falo por expriência própria- Não que eu seja um mega-pro com personagens de ranks super evoluídos e com “gandas” abilidades, verdade seja dita, até agora só tenho um cientista e um soldado a nível 2 e um tanker e um líder a nível 3, mas acreditem ou não com as minhas arminhas podres e com os meus poucos power ups, já derrotei a maioria dos pros de níveis quatro ou cinco vezes superiores.

E finalmente existe o modo online de Escalation, que também é online e é praticamente um jogo de survival, onde os diversos jogadores que se juntam vão enfrentando diversas waves de inimigos absurdas, competindo entre si por maiores resultados e mesmo assim no fundo apenas jogando com o sonho de qualquer dia chegarem ao final o mais desesperadamente possível. É certamente um dos modos mais divertidos do jogo!

Transformers: War for Cybertron Picture

War for Cybertron pode não ser menhuma revolução extrema na indústria dos videojogos actuais, ou nem menhum daqueles masterpieces que será lembrado para sempre no wall dos “melhores jogos da humanidade”, mas com certêza é uma revolução extrema quando se trata de jogos de Transformers, sendo de lonje o melhor feito até hoje. Claro, têm algumas falhas, mas comparadas ás falhas de outros jogos da saga, este é sem dúvida o melhor jogo já produzido em toda a franquia.

Nota final: 9/10

Concluíndo, também aconselho sem via das dúvidas o DLC recentemente lançado. Com o monte de coisas que eu deveria postar, não posso garantir uma análise do pack em si, mas porém posso já dizer agora que é espetacular, comprei logo no dia seguinte após jogar o jogo pela primeira vêz e devo admitir, jogar com o Shockwave não tem preço!

Anúncios

4 pensamentos sobre “Transformers: War for Cybertron (PS3)

  1. Concordo inteiramente. Já joguei algumas horas e diverti-me à grande. Nem vi o tempo passar! É um excelente jogo, com grandes gráficos e ambiente sonoro a condizer. Venham mais destes!

  2. O ponto baixo é que ás vezes o texturamento dos gráficos demora bastante a carregar (Ou pelo menos na versão de PS3) e ás vezes costuma acontecer em algumas cutscenes que supostamente deveriam ser estoirantes não carregarem bem, e acabar com uma péssima definição gráfica dos personagens que embora seja em curtos momentos de tempo, chega a estragar um pouco o ambiente da acção do jogo.

    Oque isso qer dizer exatamente? eu li e nao fiqei mais com vontade de compra o jogo

    • Quer dizer que alguns daqueles videozinhos que de vêz enquando apareçem entre as missões demoram um pouco a carregar, e ás vezes acontecem pequenos bugs (Lá para o começo do jogo) onde a resolução fica péssima. Mas não se preocupe, isso já foi corrigido no último patch (Bom, pelo menos para a PS3…) e confie em mim, vale a pena a compra!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s