Revisão escrita- Henkei C-13 Deluxe Hound e Ravage

Ah, sabe bem poder mexer nesta figura!

Não, a sério! Desde que surgiram as pimerias imagens oficias do molde- Que se não me engano, foi lá pelo fim de 2008- Eu sempre quiz o Hound na minha colecção. E pendichei-o aos meus pais por tantos natais… E pedinchei… E pendichei… Até que finalmente no ano passado entendi que pedinchar não ia levar a nada, portanto em vêz de pedinchar tomei uma atitude mais brava: Meti-me num avião, fui (Sozinho, claro) para o Japão e comprei lá mesmo! Sim, fiz uma viagem ao Japão só pra ir ás lojas oficiais da Takara Tomy comprar uma única figura que tanto queria!

… Ok, eu sei que sou um mentiroso terrível, tudo o que eu fiz foi pedinchar mais aos meus pais até eles ficarem tão chateados que logo me deram a “porcaria do carrinho”. Mas bem, ao menos tanto “trabalho” valeu a pena, pois finalmente o tenho comigo! Yay! Consegui o carrinho do brinquedo que se transforma em jipe!

Erm, digo, claro, a figura colecionável multiversátil que adquire a forma de uma réplica de um jipe, quero dizer. Eu? Colecionar brinquedos? Nah, que ideia.

Anyways, está aqui o Henkei Hound. Já falei sobre Henkei na minha análise do Henkei Ramjet, mas caso não tenham lido e sejam preguiçosos demais pra carregar no link então os Henkeis são basicamente os lançamentos Japoneses da Takara Tomy dos Transformers lançados nas linhas Americanas da Hasbro de Classics e Universe. E claro, relançados com aquele toque especial Japonês, com peças cromadas, acabamento um tanto diferente e bastante superior ao Americano, um mangá incluido e uma caixa extremamente colorida. E claro, um preço obviamente duas ou três vezes mais alto que a versão Americana.

E no quésito das diferenças entre as versões Hasbro/Takara, o Hound é certamente um dos melhores nesse quésito. Enquanto a versão original era basicamente um jipe verde com alguns detalhes brancos aqui e ali e uma ou outro detalhe pintado de amarelo, a Takara Tomy decidiu dar o seu melhor no lançamento deles e o resultado é uma linda figura muito mais parecida com o personagem original do desenho animado do anos 80.

Imagem tirada do site www.Toywizard.com

Bem, como tanto a caixa como o mangá tão guardados no sótão (Relíquias devem ser guardadas com cuidado), infelizmente não pude tirar fotos, mas acredito que essas aí a cima demonstrem bem. Resumindo, a típica caixa japonesa super colorida cheia de “VERI AWUSOM FEGURE! CULECTE THEME ALL!”

E agora sim, as minhas próprias fotos!

Como podem ver. o modo jipe é ótimo- Notem nas diferenças do acabamento comparado ao da Hasbro: O verde é  notavelmente escuro, o que dá um estilo bastante mais militar do que a versão Americana. Têm umas riscas amarelas no capô e nas laterais da parte de trás, tal como no desenho animado.

Gosto bastante deste detalhe das estrelinhas brancas nos pára-lamas. Os gajos da Takara realmente levaram a sério o conceito de tentar fazer o modo veículo parecer militar, o que dá um resultado intressante pois ao mesmo tempo que tem um design bastante, diremos, “futurista”, ao mesmo tempo tem os “traços” de um daqueles jipes da guerra do Vietnam na qual o Hound original foi inspirado.

A insígnia Autobot (Ou bem, a insígnia “Cybertron”, como eles chamam por lá) está pintada no capô.

Os bancos e o volante. Não são particularmente super detalhados, mas bem… Dado que em algumas figuras nem se dão ao trabalho de fazer bancos, devo dizer que até é bom.

E claro, ele obviamente traz alguns acessórios incluídos. E esses acessórios são uma arma, como costume, e pasmem: O RAVAGE!

Bem, acredito que dado que está escrito no título do post “Hound E Ravage” e que nota-se perfeitamente no Ravage na imagem da caixa então é certo que não deve ser novidade nenhuma para os leitores, mas bem, de uma maneira ou outra, isto deixa-nos uma grande questão: O que está o Ravage, um Decepticon “de estimação” do Soundwave a fazer COM O HOUND?! Bom, até faria sentido se o Ravage fosse, por exemplo, prisioneiro do Hound como aconteceu em um dos primeiros episódeos da G1…

… Mas ele até se encaixa na parte de trás do Hound!

E até pode carregar a arma do Hound nos buraquinhos da cassete! Wow! Gostava de saber o que é que se passa aqui! O Ravage não recebeu carinho surficiente do Soundwave e fugiu para se aliar com o Hound? O Hound estava farto da rotina diária de salvar humanos e fugiu da Arca pra se aliar com o Ravage? O Ravage foi dado para adoção e levado pelos Autobots? Gostava de saber qual é o verdadeiro motivo, mas nem o maldito mangá diz alguma coisa!

Bem, falarei sobre o Ravage em si mais á frente, mas por enquanto fico pela teoria de que os Autobots estavam fartos dos animais deles (Dinossauros que se transformavam em robôs, cassetes que se transformavam em rinocerontes… Como alguém pode aturar?) e por isso o Hound, no seu típico passeio pela Pet Shop local, decidiu levar este querido gatinho negro como animal de estimação. Claro, como o esperto do Hound nem notou na insígnia Decepticon no topo da cassete (Diremos que ele tinha ficado meio cego depois de levar um tiro do Thundercracker) ele ficou com o Ravage sem saber que ele na verdade era um Decepticon, o que levou ao pobre Ravage a ter que se aliar ao Hound, não só porque ele não fala para poder contestar mas porque também sabia que qualquer coisa que o denunciasse como Decepticon ao pé deste robô gigante seria o surficiente pra ficar permanentemente offline com um simples “pizão”. Vida de Casseticon (Ou Recordicon, whatever) deve ser dura…

Bem, cá pra mim deve ser isso. Não é uma história muito boa, mas pelo menos é ligeiramente melhor do que 1/4 dos episódeos da G1, isso eu tenho a certêza.

Gosto de deixar a arma montada no jipe, fica fixe.

Comparado ao Socut Strongarm lançado (Ou mais repintado) na linha do filme de 2007. Esta comparação lembra-me que antes de receber o Hound era o Strongarm que ocupava o lugar dele na prateleira. Bem, missão concluída, agora ele pode voltar para ao pé dos movies! Ou bem, pensando bem, já que ele é um repaint, até se enquadra mais entre os Cybertron…

Observando o veículo no geral: Podia ter mais alguns detalhes aqui e ali, mas comparado á versão da Hasbro é um ótimo modo veículo. Agora vamos para a transformação:

Primeiro os bancos abaixam-se e as pernas desdobram-se a partir da parte de trás do carro, separando-se.

Em seguida levantam-se as rodas e retiram-se os braços que estão de baixo do carro. Abaixa-se o capô e é revelada a cabeça. Em seguida é só levantar a cabeça, desdobrar as mãos (Que estão dentro do braço), dobrar as rodas para as costas e está transformado. Sim, é tão simples quanto isso, acho que é um dos Deluxes mais simples de transformar!

O modo robô é ótimo. Não é tão detalhado como outros Henkeis, porém tem um exelente acabamento.

A cabeça está muito bem esculpida. Gosto do detalhe do queixo!

As suas articulações não são nada do outro mundo, mas enquadram-se bem com a figura. Tanto os ombros como a ligação entre as pernas e o corpo têm balljoints, enquanto os joelhos e os cotovelos são basicamente dobras. A cabeça também tem uma balljoint, que o permite olhar para cima e fazer um 360. Graças á transformação, os pés também têm dobras articuladas, que podem ajudar em algumas poses extras.

Obviamente, a sua arma encaixa-se na mão.

Claro, se quizerem uma arma maior, sempre se pode usar outra.

Momento Roberto De Niro: “Are you talking to me?”

Comparado ao Strongarm no modo robô. O Strongarm é obviamente mais baixo.

Comparado ao Deluxe Roadbuster do DOTM. Sim, eu já tenho alguns do novo filme, e relaxem que em breve também virão revisões deles!

Concluíndo: Bem, acho que já deu pra entender porque é que ele é um dos meus Henkeis favoritos: Um ótimo modo veículo, exelente modo robô e, no geral, certamente uma das melhores figuras de todos os “Classics”. Portanto este é uma recomendação certa, e se possível a versão Henkei, que do meu ponto de vista é bastante superior á versão Americana.

E quanto ao Ravage…

Excusado será dizer que, como o Ravage é no fundo apenas um “brinde”, obviamente não tem o mesmo detalhe de que o Hound, certo?

E devo dizer, para um brinde até está muito bem feito!

A transformação dele é muito simples: Basicamente as patas desdobram-se, o corpo dobra-se ao meio, desdobra-se a cabeça e a cauda e está pronto.

O modo-robô dele (Ou modo-gato, whatever) é uma ótima reprodução da versão original da G1. Não é particularmente detalhado, mas fica bem entre os Decepticons na colecção.

Ele quase não tem articulações nenhumas. Graças á transformação qualquer dos joelhos pode dobrar-se, mas isso não dá pra fazer grande coisa, e de resto não há mais qualquer movimento possivel.

Como eu não tenho nenhum outro “mini-animal” que sirva de boa comparação com ele, decidi pô-lo lado a lado ao HA Sam para verem mais ou menos o tamanho…

… Ãhn? Ravage?! O que é que estás a fazer?!

NÃO, RAVAGE, NÃÃÃÃO! LARGA O HUMANO!

… Ok, tivémos aqui alguns problemas técnicos, mas já está tudo resolvido!

O Ravage lado a lado com o Hound

Good boy!

Juntos e prontos para enfrentar novas aventuras! Yaaaay! :3

Bom, termina aqui a minha análise. Espero que tenham gostado e desculpem se demorei um pouco demais pra postar. Mas bom, de uma maneira ou outra: ‘Til all are one!

Anúncios

2 thoughts on “Revisão escrita- Henkei C-13 Deluxe Hound e Ravage

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s