Aquizições de Natal e aniversário!

Post um pouco atrazado… Mas cá está! Os meus presentes de Natal e aniversário! (Sim, eu faço anos dia 25 de Dezembro… Coicidência com Jesus…)

E sem mais delongas, ei-los abaixo:

user posted image

user posted image

user posted image

Listando-os:

-Alternity Vibrant Red Optimus e Blue Megatron- Quem acompenmha o meu blog há algum tempo sabe que eu sempre quiz ter esses Alternitys desde que foram divulgados.  Exelentes figuras, especialmente o Optimus. Só achei o Megatron meio “vazio” dos joelhos para baixo, mas de resto são ótimos!
-Generations Deluxe Red Alert, Dirge, Blurr e WFC Soundwave- Todos ótimos. Agora com o Dirge finalmente completei a minha colecção de Classic Conheads e devo dizer que a pusta sniper do Blurr foi o mais surpreendente. Digo, eu certamente não queria ser um Decepticon em uma batalha onde ele estivesse acampando lá no fundo…
-Henkei Hound & Ravage de brinde- Outro que eu já desejava há um bom tempo. O sabor de finalmente conseguir um transformer que sempre quizemos sabe bem!
Hunter for the Decepticons Leader Starscream- Em uma palavra: Expantoso! O melhor Movie Starscream feito até hoje!
-Reissue da BBTS do Piranacon- Admito que ainda nem mexi direito nele (Desde que abri que ainda nem sequer o “descombinei”), afinal pareçe ser uma figura tão complexa e intressante que prefiro fazer isso com mais calma e atenção…
-Encore Metroplex- Simplesmente lindo! Após tanto sonhar com este toy, não há nada mais belo do que vê-lo no meio dos G1s… Finalmente!

Bom, foi isso, além de uma AK47 de Airsoft (Oficial do Kalashnikov, com semi e full auto!) e uma Fender vermelhinha. Ótimo Natal!

E bom, até isso, então veremo-nos nos próximo post… Provavelmente quando acabar o ano ou talvêz algum durante o mesmo! Abraços, e claro: Feliz Natal para todos! 🙂

Transformers: Dark of the Moon… O trailer!

Meus amigos leitores! Já passou um bom tempo desde o último post, hein…

A verdade é que literalmente desde o fim das férias de verão que eu não posto nada no blog. Porquê? Bom, muitas coisas aconteceram desde então, começando com o detalhe de que faltei á primeira semana de escola simplesmente porque o meu pai ficou até lá a trabalhar em Los Angeles e eu, como o bom filho que sou (E também como o bom filho que é menor de idade e não pode viajar de volta sozinho) fiquei lá a fazer-lhe companhia. E então eu prometi que após voltar a Portugal eu finalmente ia-me establecer por aqui e concluír a história do que aconteceu por Los Angeles, certo? Era o que eu queria fazer, mas para o péssimo dos azares, ao ir ao café assim que cheguei tropeçei no passeio e torci o pé! Conclusão, tive que ficar mais uma semana em casa e sem ir á escola. E não, não pude aproveitar esse tempo livre para escrever o post, visto que o meu PC antigo simplesmente foi-se de vêz (Pudera, era uma porcaria…) e tive que ficar com o micro portátil do meu pai, que eu utilizei para escrever o post anterior… Mas como não tinha para lá TODAS as imagens de Los Angeles e nem eu tinha a câmara para passá-las então aproveitei o PC para escrever o post anterior… E assim foi.

Então eu supostamente devia ter ficado com as duas semanas seguintes livres para postar, certo? Pois devia… Isto é, se eu não tivesse calhado com esses dias cheios de testes (Bom, após faltar 2 semanas ás aulas não é de se espantar…) e nem tive tempo para o blog. E para melhorar a situação, na semana seguinte tive que viajar com os meus pais a Nova Iorque- Claro que comprei Transformers e fiz muitas outras coisas por lá, mas isso eu falo em outra ocasião- E faltei mais uma semana. E ainda na próxima semana- Também cheia de testes- Eu fiquei em Portugal e tudo correu bem até lá, mas infelizmente na semana seguinte eu deparo-me com a péssima notícia que a minha avó tinha falecido.

Sim, fui logo direito ao funeral a Mirandela, onde lá eu aproveitei para passar algum tempo com o meu avô, com a minha prima e com os meus tios… Ou seja: Mais uma semana que eu faltei. Finalmente voltei de Mirandela e após deparar-me com um monte de testes até aqui, finalmente pude escrever este post no final do primeiro período escolar- E nenhum post melhor a escrever a não ser do que está a “bombar” agora: O primeiro trailer do terceiro filme dos Transformers do Bay: Dark of the Moon!

Sim, é esse o nome do filme… E era espetacular se realmente tivesse músicas do Dark SIDE of the Moon, mas enfim, para mim a referência já ficou fixe…

Bom, ia ser fixe, imaginem o Bumblebee a morrer em combate com Great Gig In The Sky de fundo…

Não que eu gostasse de ver o Bumblebee a morrer e não que a Great Gig In The Sky seja a minha música favorita dos Pink Floyd, mas dava um bom momento no filme…

E já agora, um AVISO: A partir daqui, o post contém obviamente [SPOILERS] (A sério, o que esperavamde um post chamado “Transformers: Dark of the Moon… O trailer!”? Que, tal como o meu pai diz, fosse sobre a vida sexual das freiras?), portanto, se tiverem medinho de vêr o trailer… A sério… Não leiam. Ou pelo menos não digam que não avisei. E eu sei que há pessoas que me virão considerar um idiota por eu assinalar um spoiler em uma coisa tão óbvia, mas como eu já tive problemas com spoilers por postar imagens do trailer no fórum da ATB, então… Bah, enfim.

Mas então voltando ao que importa: Em pouquíssimo tempo temos aqui o trailer (Bem, muito mais cedo do que no ano passado, que só surgiu em Fevereiro de 2009) do Dark of the Moon. E claro que obviamente com esse título o trailer sugere que o filme fala sobre nada mais e nada menos do que se poderá passar no lado negro da lua! Digo já, é uma ideia tão doida e ao mesmo tempo tão esperta, usar um filme sobre robôs gigantes para falar sobre uma das maiores conspirações da humanidade sobre o que Neil  Armstrong e os seus amigos realmente viram em 1969 na Lua além de rochas… É de lonje uma das ideias mais geniais da saga. Parabéns Michael Bay, se o filme realmente se desenvolver á volta disso, têm altas possibilidades de alcançar o sucesso dos anteriores!

Mas bom, enfim… Eis o trailer:

Não que esse seja o upload do trailer mais popular do Youtube, o upload oficial já foi visto mais de 700 mil vezes… Mas esse aí foi um dos primeiros uploads e eu deixei um “Second!!!” no comentário, portanto fica esse mesmo no post.

Mas bom, o que eu acho do trailer? Tal como eu disse na ATB, épico! Digo, não que mostre muito, mas já deu para ver que este filme promete. Se não tiver mais um robô com escroto (Sim Michael Bay, já deu para entender que ele têm uns pustas testículos de metal para fazer o trabalho, não é necessário demonstrá-los visualmente!) ou cachorros nos seus atos naturais que não precisam de necessariamente ser expostos (Não, eu não sou mais um dos fãs chatos que considera que o Bay devastou completamente a saga- Muito pelo contrário, eu adoro os filmes- Mas por favor… Já deu para entender que eles estão no Ciu, não preciso de ver o ato para entender!) e se a história conseguir manter bem o foco, será mais outra ótima produção para a história da franquia. Digam o que quizerem, algo inegável é que, mesmo nem todos gostando do filme, os Transformers já deixaram uma boa marca sólida no cinema… Agora se este filme chegar a ser ainda mais impressionante do que os  anteriores, isso seria ótimo, pois passaria de uma simples marca no cinema a uma verdadeiro clássico que será relembrado durante décadas no cinema. Claro, isso tudo está nas mãos do senhor Bay e da sua equipa, e verdade seja dita: Não são más mãos.

Agora, partindo para a análise do trailer em si, decidi formular algumas ideias. Primeiro, uma das coisas que me chamou logo a atenção no trailer foi a cabeça do robô aos 1:30. Eu diria que lembra alguém… Mais precisamente o Landmine da linha de brinquedos (E das BDs) do filme de 2007:

Vendo assim pode parecer apenas uma cabeça genérica, mas na minha opinião existem alguns detalhes que apontam para a minha comparação estar correcta, como o “ventilador” na testa, a aparência enrugada nas bochechas, os sobrolhos… Será um Landmine com uma faceplate?

E quanto á maior especulação: Quem será aquele robô no final? Uma coisa eu posso garantir, ele certamente é um Autobot. Digo, se fosse um Decepticon a “acordar” nesse momento (E como eu sei que o Michael Bay não gostaria muito de alterar a timeline do “mundo real”) eu garanto que os astronautas não teriam sobrevivido. E isso sem contar que ele têm olhos azuis, e pelo menos até agora não me lembro de nenhum Decepticon com olhos azuis nos filmes.

Mas mesmo assim ainda premaneçe a dúvida: Se ele é um Autobot, quem é ele? Após algumas breves pesquisas, acredito que seja um dos seguintes personagens. Primeiro, o que eu acho mais provável…

… O Last Autobot- Não só pela semelhança entre a aparência dos 2, mas também pela história de cada um. E como eu acredito que alguns por aqui não devem estar familiarizados com o Last Autobot (Sinceramente, nem eu estava antes de dar umas procuradinhas pela TF Wiki) então a sua história pode-se descrever como o “escolhido” de Primus. Aliás, a sua história é tão confusa que devo dizer que me custa um pouco a explicá-la, logo resumindo: O gajo sacrificou-se por ser o escolhido, ficou “offline” por um tempão e depois voltou a acordar na G2 para passar a Matrix para o próximo Prime.

Agora porquê ele ser o robô do final do trailer? Se olharmos com alguma atenção, podemos notar que claramente existem mais semelhanças entre eles do que simplesmente na aparência. Bem, em primeiro lugar porque a história do Last Autobot consiste principalmente em “despertar”, e aparentemente é isso que vemos o robô do trailer a fazer. Notem também que a história do Last Autobot consiste claramente em um Autobot mais sábio e provavelmente um dos mais velhos, e isso complementa-se com o facto do robô do trailer têr barba. E isso sem contar que o Last Autobot transforma-se nesta nave espacial. E há algum tempo umas imagens de uma nave (Ou algo similarmente grande com turbinas atrás, ou era uma nave ou um míssil… Se calhar um foguetão…) nas filmagens de Detroit apareceram na net. Poderá essa nave ser uma versão cybertroniana dele? Defacto, ambas as naves não têm muitas semelhanças entre si… Mas acho que poderá ser um facto que reforce um pouco o argumento do Last Autobot.

E quem poderá ser o outro “suspeito”? Claro, o mais popular Autobot bigodudo e o “Kota do Prime”: Alpha Trion!

Ora, como ao contrário do Last Autobot o Alpha Trion é um personagem bastante popular na saga e acredito que muitos já o devam conhecer, mas caso alguém não o conheça acredito que não custa explicar quem ele é, e acho que pode resumir-se facilmente: O pai do Optimus Prime!

Sim, foi isso que eu quiz dizer com Kota do Prime, se vcs pássasem máis umas becas cos brodás da Rebolera City e da Amadora City iam conpreender a cena, tássaver?

Mas bem, embora eu acredite mais no Last Autobot, o Alpha Trion também dava um bom personagem. Não só, ele também é bigodudo como o robô do trailer e já que existem algumas probalidades de termos o começo da história dos Primes explicada neste filme (Não duvido que eles acabem o que começaram no 2º filme) então existem boas chances de ser ele.

Bom, então quem será ele? Comentários? Opiniões? Querem continuar a debater? Já sabem, têm logo aqui em baixo o espacinho dos comentários para debater, ou podem-se simplesmente juntar á discucção sobre o novo filme no fórum da Aliança Transformers Brasil. Então e até ao próximo post- Provavelmente no dia de Natal para falar sobre as prendas que recebi ou um pouco antes para acabar de falar sobre a minha épica viagem a LA… E se calhar falar também sobre a minha viagem a Nova Iorque, já que eu também comprei alguns Transformers por lá.

Transformers: The Game

AKA “Grand Theft Autobot: Tranquility City”, como dou a entender pela montagem ao lado que eu me diverti a fazer.

Agora, se vocês acompanharam o blog ultimamente devem estar mais ou menos “Mas que… Henrique, seu desgraçado, tu prometeste no post anterior continuar a falar da tua viajem a LA! Nhá nhá nhá, vou falar mal nos comentários, não volto a visitar mais o blog e vou xingar muito no Twitter!” mas pelamordedeus, eu bem gostava estar neste momento a falar sobre a minha viajem a LA, a contar todos os mínimos detalhes e a revisionar as minhas aquizições por lá como se fossem a 8ª maravilha do século… Se o meu computador onde eu tinha todas as imagens e vídeos e onde eu passava as fotos não tivesse de vêz dado o litro, e devido a fazer download da demo deste mesmo jogo no Baixaki (Só naquele sentido de poder ter uma versão para PC também, entendem…) o próprio Baixaki enganou-me e o Download era na verdade um monte de trojans, spywares e vírus maliciosos que me lixaram o meu perfil de utilizador e em pouco tempo o resto do computador.

O pior é que isso já tinha acontecido há não muito tempo, tempo esse em que desde lá eu tenho aguentado com o PC… Só foi ao voltar de LA e ao ligar o PC que os malditos vírus simplesmente apagaram rigorosamente tudo do PC (Não que eu tivesse lá muita coisa importante, mas enfim…) e fiquei sem lugar para poder passar as fotos ou escrever o post com mais calma. Bem que posso agradeçer aos vírus, afinal aquele PC era uma m… -Mas bem, conclusão, quinta-feira vou comprar um PC novo e enquanto isso fico com o portátil do meu pai, que mesmo que possa não ser apropriado para escrever um mega-texto ou passar para lá as fotos todas possíveis ao menos ainda serve para escrever este pequeno post.

Mas porquê falar deste jogo nesta época? Bom, eu tenho passado estes dias a jogar o melhor jogo de Transformers de sempre- Tal como eu escrevi há uns posts atrás, o tão-falado War for Cybertron- Mas mesmo assim em um certo momento senti algo que eu definitivamente não devia sentir só com 13 anos: Nostalgia. Por um breve momento deram-me algumas saudades de jogar o jogo do primeiro filme dos Transformers, mas como o Download da suposta “demo” deu m… Eu decidi ir buscar o disco do jogo para a Playstation 3 e meter-me a jogar!

Isto é, se não tivesse acontecido a Lei de Murphy… O típico quando se têm um jogo que se quer jogar há um bom tempo por pura nostalgia… Não encontrei o jogo! Agora, claro que não perdi, bem sei que como normal o jogo vai voltar a apareçer daqui a uma semana após eu ter escrito este post, quando eu já não tiver nenhuma vontade de jogar… E além de mais nem tive problemas com isso, visto que eu também tinha a versão da Playstation 2. Bom, os gráficos podiam não ser tão bons como na PS3, mas ao menos o que importa é que ainda se joga, e isso é melhor que nada!

… Ou supostamente deveria jogar, até que ao inserir o maldito disco do jogo eu descobri que o resultado de ter jogado este jogo tantas e tantas vezes era o disco praticamente todo riscado, ou seja: O jogo simplesmente não conseguia chegar sequer ao menu! Aliás, nem conseguia chegar sequer ao clipe de introdução ou aos logotipos no começo!

Aborrecido, decidi começar a escrever este post como remorso… E a lamentar-me das boas memórias que este jogo deu-me durante tanto tempo que eu não vou voltar a jogar e…

Hã?

O que é isto?

AHHHH, O DISCO ESTÁ A FUNCIONAR!!! Finalmente vou PODER JOGAR E RELEMBRAR DE NOVO O JOGO e voltar á minha “infância” de há 4 aninhos atrás e dizer ao mundo o tão bom que é esta obra prima!

Porque sim, vou contar agora um pequeno facto sobre mim que ninguém quer saber ou sequer se importa mas que por pura vontade vou contar na mesma: Hoje em dia posso deixar a modestia á parte e e dizer que conheço parcialmente bem o universo dos nossos robôs Cybertronianos. Já vi bastantes episódeos das sérias anteriores, já li e reli bastantes coisas sobre a saga, tenho uma colecção, no mínimo, bastante variada dos robôs, cheguei inclusive a ler bastantes BDs da série e ainda revi tanto o filme original de 86 como os filmes do Bay, muito provavelmente, umas 50 a 100 vezes cada um. Mas mesmo assim há 4 anos, após ver o filme dos Transformers de 2007, época em que eu me tornei um “verdadeiro” fã eu não estava nem perto de ter um conhecimento assim tão vasto da série. Conhecia bem o surficiente os personagens do filme (Bom, embora ás vezes eu ainda trocasse o nome de alguns de vêz em quando), tinha apenas os legends Megatron e Ratchet e os deluxes Brawl e Bumblebee na colecção- Além daquele tanque pirateado que faz barulhinhos irritantes-, começei a escrever o meu próprio blog sobre Transformers na altura (Pasmem… É o blog que estão a ler agora!) e já tinha visto 1 ou 2 episódeos da G1 no Youtube… Mas tirando isso não tinha mais nenhuma fonte de conhecimento dos Transformers. Mais nenhuma tirando este jogo, que só me traz boas memórias de 2007 de mim a jogar! A questão é… Serão essas memórias apenas pura nostalgia da época ou há algo mais de impressionante neste jogo? Agora sim, após uns bons parágrafos falarei REALMENTE do jogo em si!

O jogo, como obivamente segue a história do filme de 2007, é no geral praticamente a mesma, com uma diferença ou outra pelo meio, mas nada de drástico. A única grande diferença é obviamente no final de cada campanha, que tanto pode ser os Autobots a comemorarem como o Optimus a ser cortado ao meio pelo Megatron e em seguida os Decepticons como “reis do mundo” fazendo pose de maus. E sim, é possível escolher campanhas, o que é um dos grandes destaques do jogo… Mas agora, um detalhe importante, como é que ocorre a acçãodo jogo?

Então, é isso mesmo que justifica a montagem que eu fiz lá no começo do post: É ao estilo de Sanbox, tal como no GTA! Ou seja, o jogador têm um vasto mapa ao seu dispôr, vai andando (Ou conduzindo/pilotando também serve) de ponto em ponto para fazer missões e sub-missões e se quizer pode simplesmente ignorar isso e saír por aí a causar pânico e a fazer destruição.

Tá, ok, não é assim TÃO á GTA onde tudo se passa em um mapa ENORME, na verdade aqui existem diversos mapas, que embora possam não ser tão grandes como San Andreas, Liberty City ou Vice City (Na verdade os mapas do jogo consistem apenas de Tranquility- A cidade onde vive o Sam-, uma Downtown semelhante a Nova Iorque misturada com LA, o interior do Sector 7 e algumas bases militares), ainda são grandes o surficiente para originarem uma boa expriência Sandbox.

Os gráficos… Bem, na altura eu fiquei simplesmente de queixo. Já joguei MUITOS  jogos de PS2, e mesmo assim devo dizer que os gráficos deste aqui batem bastantes dos que eu já joguei. Claro, não são nenhuma revolução na indústria, mas para uma PS2 na maioria dos momentos não é nada mau! E ainda mais para PS3!

Os ambientes do jogo também estão bem construídos. Os bairros e prédios das cidades estão bem organizados, tanto que podemos ver os humanos nas suas vidinhas a passearem pela cidade e a conduzirem pelas ruas, as frotas de veículos militares a andarem de base em base pelo Qatar, os aviões a voarem por cima do aeroporto das bases militares, etc. Mas o mais importante nos cenários é de lonje a destructibilidade- Vou admitir que NUNCA vi um jogo na vida que desse tantas possibilidades para devastar o seu próprio cenário. Cada milímetro cúbico dos prédios ou dos objectos espalhados pelo cenário podem ser devastados completamente. O jogador pode transformar um calmo bairro em um cenário que mais pareçe saído da Guerra dos Mundos! Não dá para descrever, as opções de maneiras para arrazar totalmente os cenários são tantas que realmente só mesmo jogando é que se entende!

Ou seja: Graficamente não se podia exigir mais. Mas não nos esqueceremos da regra… Não são bons gráficos que fazem um bom jogo. Então veremos o que mais este jogo têm além de gráficos…

A jogabilidade… Bem… É bastante dividida, se assim poderemos dizer.

Quando se trata da jogabilidade como robô, é simplesmente ótima. Os controlos para a mira e para disparar estão bem aplicados, o sistema de auto-lock nunca chega a provocar confusão e diga-se de passagem, os melees são literalmente estoirantes. É “super fun” ir espancando os drones genéricos enquanto a câmara entra em slow motion e vê-se o nosso personagem a brutalizar as criaturas enquanto explodem em pedaços que realmente voam e espalham-se pelo cenário!

E claro, o jogador sempre se pode transformar a qualquer momento, o que sempre é um ponto positivo, algo que depois (Ou neste caso antes) do que alguns dos jogos da saga nos fizeram sempre é bom relembrar.

Por outro lado, infelizmente os controlos dos veículos terrestres são horríveis, simplesmente pela péssima desvantagem que são extremamente duros. O jogador em menhum momento se sente a controlar um carro ou um camião, o sentimento é sempre mais de que está a conduzir um bloco gigante com rodas que desliza facilmente e vira dificilmente, estando sempre a ir contra os objectos no caminho. Claro, isso é perdoado nos veículos aéreos que são facilmente pilotáveis (E ainda assim divertidos, especialmente quando se usa o turbo… Wow…) mas como na maioria das vezes o jogador vai usar veículos terrestres é um facto extremamente irritante. Claro que não chega a ser nada assim de tão prejudicial quando o jogador apanha a técnica, mas mesmo assim ainda consegue ser bastante irritante.

Por falar nisso, no jogo os personagens jogáveis são… Bem, basicamente para os Autobots o Optimus, o Bumblebee, o Ironhide, o Jazz e para os Decepticons o Megatron, o Starscream, o Blackout, o Barricade e o Scorponok. Uma boa selecção de personagens, embora definitivamente não custasse nada pôr o Ratchet nos Autobots só para equilibrar um pouco as coisas.

 Agora cá vai o promenor que pode ser o que realmente é o mais prejudicial para o jogo: As missões no começo do jogo chegam a ser bastante divertidas, mas após algum tempo de jogar ficam simplesmente massadoras. Normalmente consistem em ir para aquela rua qualquer antes do tempo acabar, enfrentar um monte de drones, ir depois para a praça tal antes que o tempo acabe, enfrentar mais um monte de drones, ir de novo o mais rápido possível para outra zona qualquer, enfrentar um drone mais poderoso do que os outros… E acaba a missão.

Ou bom, na maioria das vezes é isso, outras vezes é simplesmente enfrentar um monte de inimigos em uma certa área, defender um aliado ou enfrentar um chefe, mas no geral não varia lá muito. Ou seja, bem… Não que haja muitas missões, apenas existem 18 por cada campanha (Se contarmos com a batalha final e com as missões bónus em Cybertron) e que passam num instante, mas mesmo assim não deixa de ser repetitivo, o que realmente é um tanto desapontante.

Finalmente, falando da trilha sonora de background: Nada de impressionante, mas bom, ainda fica ao menos na cabeça por um bom tempo. Eu ainda me recordo da música de fundo das primeiras missões dos Autobots…

Boas memórias…

Não vou negar, muitos dos defeitos deste jogo, pelo menos para mim, foram simplesmente ocultados pelas boas memórias que me trouxe e que eu “desabafei” lá para o começo do post. Agora quase meia década depois de ser lançado é que entendi que tem defacto alguns bons errinhos grosseiros. Mas apezar disso em 2007 eu ainda me “divertia pacas” com este jogo, e hoje, mesmo tendo os seus óbvios erros, bem…

… Admito que aindo me “divirto pacas”. Digo, é um jogo de Sandbox com robôs gigantes onde uma pessoa pode transformar uma mera cidade em um holocausto nuclear, o que importam as missões?

Nota final: 7/10

Ou seja, se algum leitor é um fã do filme de 2007 e ainda não têm este jogo, então definitvamente recomendo-o. Por outro lado, outro tipo de fãns poderão não gostar tanto, logo aconselho dar apenas uma olhada só por curiosidade.

Temporada TF Report: Los Angeles II

E cá estou eu de volta!

Sim, as férias estão quase a acabar, mas para acabar em grande decidi acabar em Los Angeles! E para não saír da tradição, deidi fazer tal como foi com Londres e com a primeira vêz em LA, mais uma vêz decido fazer as minhas “comprinhas” por aqui e avaliar o mercado de robôs transformáveis por LA! Agora, se o leitor fôr mais um chato que vêm dizer “LMAO Kero lah sabê ounde enfoiam us Traunsformás no esterangéro iscruto pur um pito ke se axa bom u surfecente pra falá de disturbiuição dus bunekús peló mundu U.U” então a pergunta é simples: Porque é que está sequer a ler o blog? Se o que eu escrevo aqui não lhe agrada, o “X” do Explorer (Ou de qualquer que seja o browser que você está a usar) é logo no canto superior direito do ecrã! Não é um gajo a menos que me vai fazer a diferença!

Trolls panasquinhas… Bah…

Mas continuando, após eu chegar de uma loooonga viagem e dormir uma bela soneca, saí do hotel com os meus pais e com um amigo nosso em direcção á “town”. E qual é a primeira regra para ownar por Hollywood?

 

Claro, um bom carro!

E neste caso um carro de luxo tão COOL e tão “HOLLYWODESCO” é mais de perfeito, um carro tão espetacular que até nem parece ter sido alugado por uma pechincha na Budget (Não tou a gozar, a marca de alúger de onde veio o carro realmente têm esse nome), disfarçando completamente o facto de que eu vivo num pequeno apartamento da Amadora em Lisboa e sendo o disfarçe perfeito para se infiltrar entre os gangstas e mobs rurais por LA.

Confiem em mim, não são poucos.

Para começar bem o dia, após dar umas voltas por Belvery Hills, passei pela popular Toms Toys, uma das mais conhecidas lojas de brinquedos de Hollywood. E claro que tive uma ótima surpresa ao entrar e observar a secção de Transformers deles- Pequena, mas recheada de novidades- Com bastantes coisas do Revenge of the Fallen, de NEST Alliance e especialmente montes de Deluxes e Scouts da nova linha do filme Hunt for the Decepticons. No geral, uma mão cheia de novidades!

Claro que não eram só Transformers, também tinham muitas outras coisas intressantes na loja, como modelos de aviões, naves do Star Wars, coisas da Lego e até as mais variadas “babaquiçes” que só existem na américa. E após um bom dia de passear por Santa Mônica e de jogar Time Crisis IV na arcade do Santa Monica Pier, finalmente cheguei ao hotel com as minhas compras pela loja de brinquedos na qual eu falei:

Legends Sideswipe, Scout Hubcap e  Deluxe Brawn! Três figuras ótimas! Definitivamente estou mais que surpreendido, o Brawn é de lonje um dos melhores deluxes de sempe! A sério, até os meus pais ficaram surpresos com a engenharia deles!

São itens como estes que me fazem pensar que realmente hoje em dia os Transformers já não são o que eram… São muito mehores- Pelo menos quando se trata dos brinquedos isso é inegável. Prosseguindo então com o dia seguinte, começou logo com uma ótima surpresa: Um loja super nerd entitulada Blast from the Past.

O quão nerd, vocês perguntam?

 

O mural no exterior da loja responde á pergunta.

Entrando na loja, o ambiente é completamente diferente de qualquer loja normal: Figuras das mais diversas séries, cartoons e comics forravam as paredes e prateleiras da loja, e como não podia faltar o que tinha dos Transformers não era pouco, desde coisas do Revenge of the Fallen até bustos e itens da G1.Eis algumas fotografias tiradas na loja que demonstram algumas das coisas intressantes do lugar:

 

 

 

 

É, queria ver algém conseguir fazer uma cara menos estúpida no meio de tantas coisas fixes…

Até tinha um Grimlock G1 completo por 175$ e o melhor, um Snarl G1 por 35$. Até fiquei feliz com isso e pronto a comprar o Snarl, embora um pouco desconfiado pelo preço do Snarl… O que não foi sem motivo, visto que quando o dono da loja foi á vitrine retirar o Snarl notei que ambos os pés estavam apenas suspensos (Ou seja, nem sequer) encaixados na figura e uma das patas da frente parecia ter sido literalmente arrancada por algum miúdo malvado que preferia os Gobots na altura do lançamento da figura. Foi difícil mas acabei por decidir que em vêz de gastar 35 dólares em uma figura toda escavacada, optei por gastar 11 dólares no Huffer (Para os que não conheçem, é o camião laranja no canto esquerdo da primeira foto da loja) e já fiquei feliz até encontrar atirado para meio de um monte de carrinhos da montra  um Transformer genérico (Provavelmente um Gobot ou um Convertor) um pouco sujo mas ainda em ótima qualidade, e por apenas dois misérios dólares. Como é que eu poderia ter deixado esta pequena rariedade ficar ali sucateada á espera de um dia ir para o lixo? Não faço a menor ideia de quem ele seja, ele têm um estilo bastante Gobot mas não encontrei nada que demonstre que ele seja parte da linha, só sei que segundo o que diz debaixo dele, o “gajo” foi feito em Macau por uma tal de MC Toys. Cá vão algumas imagens dele juntamente com o Huffer para ver se alguém identifica-o:

Descobriram quem é ele?

E não eram apenas bonecos que haviam na loja, também encontrei pelas prateleiras esta rariedade:

Cada um por apenas 5 dólares- Épico!

E após o resto do dia, depois de ir em um emocionante tour de Whale Watch (Ou seja, literalmente ir ao mar vêr baleias) e jantar um bom hambúrger ao estilo Americano, decidimos passar pela Target e foi a loucura,

MONTES de coisas novas, itens de Hunt for the Decepticons, Generations e Power Core combiners por todos os lados e montes de crianças em volta das prateleiras a pedincharem aos pais a primeira coisa dos Transformers que lhes aparecesse á frente. Concordo com os fãns, a linha realmente está caida no esqueçimento e a falir em escalas massivas com a chegada dos novos filmes (LOL)

E ainda com a ajuda do meu pai que não se importou de me ofrecer alguns, eis as minhas compras pela Target:

Conseguiram reconhecer todos? Cá vai a lista do que comprei na Target:

-PCC Searchlight w/ Skyburst

-PCC Smolder w/ Chompster

-PCC Bombshock

-HFTD Legends Longhaul

-HFTD Deluxe Ironhide

-HFTD Voyager Seaspray

Só fica difícil escolher o melhor, pois verdade seja dita, todos são fantásticos! Pena que esse tipo de coisas nunca chegam ás lojas de Portugal.

No 4º dia fui ao parque da Universal ver como estava o lugar após o ano passado, e devo dizer que diverti-me muito mais do que da primeira vêz que fui lá. E quem se lembra dos meus comentários na primeira vêz bem sabe que não foi pouco o quão me diverti.

Este ano não só estive na maioria das coisas do ano passado como também tive a corajem de entrar no ride do Jurassic Park… E digo… É um sonho de infância! Espetacular observar primeiro os dinossauros lindinhos a mexerem-se por mecanismos super evoluídos (A sério, aquilo realmente eram bonecos?!) e depois a entrar no parque devastado, dentro das fortalezas do parque e entre os túneis e barragens de carros a choverem até ao grande final… Que eu prefiro não contar, digo apenas que vale a pena ir a LA só para andar nessa ride! Bom, nessa e também no novo King Kong 3D. Digo uma coisa: Se consideraram o 3D do Avatar estoirante então preparem-se.

E não se iludam com a porcaria do Youtube (Aliás, nem procurem pelo Youtube senão não tem qualquer efeito ver na telinha do PC), essa cena do King Kong.. Só ao vivo e com 3D. Isto sim!

E claro que foi irresistível passar pelas lojas e apanhar algumas figuras de Universe que surgiram em uma das lojas:

Ratchet e Tread Bolt- Aquizições indespensáveis para os Autobots de Universe! Ótimos repaints, verdade seja dita!

E claro, agora que fui ao parque da Universal e revelei isso, sei que todos devem estar curiosos quanto a um detalhe (Ou pelo menos os que ouviram falar desse detalhe): E o futuro Ride dos Transformers da Universal que referiam no TFW?

Então preparem-se…

Senhoras e senhores…

Meninos e meninas…

EI-LO!

… Não estão a ver? Ou simplesmente não sabem qual dos prédios é? Então mostro-vos já qual!

Ou seja, claro: Ainda está em construção. Mas é aí mesmo que futuramente vai surgir o ride dos Transformers na Universal, os próprios seguranças que tavam ao pé da zona da construção fechada por barreiras ao verem a t-shirt do Optimus Prime que eu tava a usar nesse dia logo entenderam que eu era esperto e não se importaram de confirmar o que eu já tinha deduzido.

E após um bom dia de passear pela Universal, voltei ao hotel, tive a oportunidade de poder explorar a fundo os Transformers que eu comprei e fiquei a divertir-me com os meus “bonequinhos” até ir dormir. Sim, foi nesse dia que tirei as fotos a tudo o que tinha comprado até lá e inclusive acabei com uma bela foto de grupo:

Esta câmara é exelente, em uma câmara normal a imagem saíria amarelada  e nesta até existe uma opção especial para corrigir isso!

Claro que isso já existe há muito tempo, mas esta foi a primeira vêz que se provou realmente útil, na maioria das vêzes com outras câmaras não fazia diferença menhuma.

E finalmente no quinto dia (Não o último, hoje é que eu escrevo ainda é o sexto e ainda terei mais alguns pela frente, simplesmente acabarei por aqui e assim que chegar ao fim falo de tudo) passámos pelo melhor lugar de Holywood- a Japantown. Basicamente ruas inteiras de lojas chinesas, algumas até dedicadas exclusivasmente a brinquedos! Aliás, e quando eu digo brinquedos, são todo o tipo de brinquedos, como “Transfakes”, carrinhos, aviõezinhos, pistolinhas de água, sabres, canivetes, pistolas de airsoft e até armas de BBs ELÉTRICAS!

Ou seja, sim, o pessoal por aqui têm definitivamente uma afixação por armas. Eu sou uma pessoa da paz, a favor da justiça e apoiante do movimento “Queimem as armas!” mas arminhas de brincar que deitam bolinhas de 6 mililímetros (Bolinhas essas cujo eu tenho 2 frascos cheios até cima em casa) e com alguma acuracia podem seriamente magoar ou cegar o olho a uma pessoa? Ahhh, isso sim é divertido!

E verdade seja dito que eu fiz grandes achados pela Japantown…

Um Mini-Masterpiece Prime! AWESOME! E ainda também encontrados em uma loja de velharias um Swindle e um Aerialbot G1- Originais, e em ótimo estado!

Mas o mais impressionante… A cereja do bolo que eu NUNCA acreditei encontrar em uma loja chinesa por apenas 10 dólares, um item 100% original da Takara que hoje em dia só fora da embalagem custa normalmente uns 30 ou 40 dólares no Ebay…

X Brawn!

UMA FIGURA ORIGINAL JAPONESA DE ROBOTS IN DISGUISE!

Em uma lojinha de coisas de caca a ser vendido como caca! Imaginem se todas fossem assim…

Concluíndo, tenho-me divertido bastante em LA. E prearem-se, pois eu terei em breve algumas pequenas notícias que eu descobri por aqui. Até á próxima, com mais algumas aquizições e claro, com essas notícias e com a sua origem divulgada!

TF Cast 00- Episódeo piloto

Posso garantir que 50% do tempo que eu passo online decorre no Fórum da ATB. Ora, tenho a certêza que todos os Brasileiros que visitam o blog estão familiarizados com o fórum, mas como eu duvido muito que os Portugueses que ás vezes aparecem por aqui conheçam o fórum, então eu dou uma palavrinha para explicar do que se trata:  É provavelmente o fórum Transfã brasilerio mais popular da web, e também de lonje o meu favorito. Todos os dias a primeira coisa que eu faço ao abrir o explorer é ir ao fórum, normalmente enquanto estou a navegar deixo sempre o fórum aberto em uma tab e passo bastante tempo a conviver com as pessoas por lá, tanto que devo dizer que 3/4 dos meus amigos transfãns eu conheci por lá.

Ora, após uma década inteira desde a existência do fórum, alguns usários juntaram-se e tiveram a brilhante ideia de fazer um podcast oficial para o fórum. Inicialmente a ideia teve vários contratempos e bastantes dúvidas quanto á sua possivel realização, mas após um trabalhão e tanto finalmente chegou-se ao primeiro resultado final: O episódeo piloto.

Não é certo quando vão surgir mais episódeos, mas uma coisa eu garanto: Com um primeiro episódeo desta qualidade, fica difícil não querer mais! Oiçam e adorem!

Cliquem aqui para ouvir o Podcast no 4shared (Pode ser ouvido no próprio player do site, não precisam de fazer o download de nada!)

Cliquem aqui para ouvir o podcast no Divshare (A mesma coisa)

Espero vir a participar futuramente em alguns dos episódeos. Aproveitem, é espetacular! 😉

TF Club: Encontrebas Transformers IV

user posted imageLá para o fim do ano anterior, um pouco depois da estreia do Revenge of the Fallen, múltiplos encontros de fãns de Transformers em massa realizaram-se. Foram, não só um, nem dois, mas sim três logo em datas bastantes próximas… E após um longo tempo desactivos, praticamente quase um ano desde o primeiro Encontrebas, eles decidiram realizar finalmente um quarto encontrebas (E também o primeiro deste ano):

Os sites Aliança Transformers Brasil e Dinastia Transformers se unem ao Universo Transformers para a realização de mais uma edição do Encontrebas.

Além de itens de memorabilia, o evento mostrará o que os fãs brasileiros têm produzido pela paixão aos Transformers: desenhos, dioramas, papercraft, fanfics, animações e muito mais!
Somente durante o evento, venda promocional de figuras Transformers.
Passe um dia divertido. Reúna a galera e venha participar desse encontro, trocar opiniões, bater papo, encontrar e fazer novos amigos.

– Exposição de brinquedos, objetos e raridades.
– Dioramas: Venha conferir algumas cenas dos filmes Transformers: O Filme e Transformers: A Vingança dos Derrotados transformadas em dioramas (maquetes) por fãs e colecionadores;
– Fanarts: Desenhos feitos por fãs de sua própria imaginação baseados na obra original dos Transformers;
– Fanfics: Interessantes e divertidos, são contos escritos por fãs que não fazem parte do enredo oficial dos Transformers;
– Paper craft: Método de construção de objetos tridimensionais a partir de papel, geralmente feita com vários pedaços de papel, são cortados com tesoura e colados uns aos outros;
– Exibição de vídeos: Reviews e animações feitas por fãs, além de episódios e trailers das séries;
– Concurso de desenhos com distribuição de prêmios para os melhores trabalhos (regulamento depois do clique).

Transformar e rodar!

Serviço:

Encontrebas Transformers
Data: 14 de agosto de 2010 (sábado), das 10h às 18h
Local: Loja Coleciona Brinquedos
Rua Augusta, 2299 – São Paulo – SP
Tel. (11) 3081-4977 / (11) 3062-2226
Ingresso: Entrada Franca

Realização:
Universo Transformers (www.universotransformers.com.br)
Aliança Transformers Brasil (www.tfbrasil.net)
Dinastia Transformers (www.dinastiatransformers.com.br)
Coleciona Brinquedos (www.coleciona.com.br)

Para mais informações, visitem o Universo Transformers ou para saber mais sobre os encontrebas anteriores visitem o Clube TF! E eu fico aqui chupando o dedo em Portugal.. 😛

Logo, se viverem por aí em São Paulo ou perto não percam a oportundiade!

Transformers: War for Cybertron (PS3)

Os que acompanham o blog bem podem testemunhar, desde o início deste ano que eu tenho ficado obcecado com a estreia do jogo. War for Cybertron é, sem via das dúvidas, o jogo que eu tenho esperado mais até ao momento. Claro, este ano vai ser um ano forte em jogos, mas mesmo com Star Wars: Force Unleashed II, Killzone 3, Call of Duty: Black Ops e muitos outros jogos que eu também tenho aguardado bastante, menhum pareceu bater a ansiedade de War for Cybertron. E finalmente, junto com um bonequinho exclusivo do Starscream (Na qual eu falei há 2 posts atrás) eu recebi o jogo em mãos, tendo a passar os meus últimos dias por Cybertron.

E então, será que o jogo é tudo o que eu e os outros fãns realmente esperávamos? Será finalmente aquele jogo da franquia que tanto esperámos? Ou é apenas uma grande desilusão que nos fará perguntar o que raios passou pela cabeça da Activision quando formou este produto? Ou será apenas um produto mediano que não passa de “mais um” na saga?

“The thruth is out there“… Ou também nos próximos parágrafos!  Leremos e desvendaremos o mistério…

Tal como o nome já leva a entender, o jogo decorre em Cybertron, acompanhando os primeiros momentos do grande conflito entre os Autobots e os Decepticons, mostrando coisas importantes como o primeiro encontro entre Optimus e Bumblebee, o nascimento da rivalidade entre Starscream e Megatron e até o momento em que Optimus finalmente torna-se O Optimus PRIME! Ou seja, mesmo não sendo um jogo que acompanha exactamente o começo de toda a batalha, ainda demonstra bastante sobre os primeiros passos da mesma.

A apresentação da história é exelente, existem bastantas cutscenes e diálogos entre os personagens durante o jogo em si e é irresistível não assistir a todas as introduções de cada missão. Até os pequenos vídeos entre a maioria dos checkpoints ou as falas dos personagens uns com os outros durante a acção são exelentes, expressando bastante originalidade e por muitas vezes situações impressionantes que não funcionariam sem o diverso “blá blá blá” dos momentos.

Quanto aos gráficos, têm os seus pontos altos e baixos. A construção das missões é bastante aceitável, tendo cenários com um ótimo nível de detalhamento. Os robôs também são bemconstruídos, tendo detalhamento também o surficiente para embasbacar a maioria dos jogadores- Confiem em mim, as transformações são fantásticas! O ponto baixo é que ás vezes o texturamento dos gráficos demora bastante a carregar (Ou pelo menos na versão de PS3) e ás vezes costuma acontecer em algumas cutscenes que supostamente deveriam ser estoirantes não carregarem bem, e acabar com uma péssima definição gráfica dos personagens que embora seja em curtos momentos de tempo, chega a estragar um pouco o ambiente da acção do jogo.

Transformers: War for Cybertron Picture

A jogabildiade, indiferente de qualquer outro jogo da saga, é um 3rd person shooter. E não me refiro a um 3rd person shooter como alguns consideram outros jogos da franquia, refirmo-me a um 3rd person shooter Á SÉRIA, com armas que possam ser apanhadas pelo caminho, reloads, munições limitadas e uma acção frenética. Confiem em mim, é espetacular estar atrás do gatilho (Ainda pra mais com armas automáticas, essas são espetaculares) e encher os inimgos de balas. É algo como a sensação de Gears of War, de encher os inimigos de balas até observar a sua eventual derrota, só que com os robôs que tanto adoramos!

Apezar de que, eu devo admitir, mesmo que as munições limitadas incluam algum realismo no jogo, normalmente isso pode ser bastante chato. Tal como eu disse acima, a acção é estoirante, e confiem em mim: Nada é mais irritante do que estar a ownar os inimigos com uma minigun em um momento de awesomeness total, a vê-los explodirem em pedaços 1 por 1 e de repente, no meio de tantos “awesomes”, acabam as munições do jogador, forçando-se assim a procurar pelo mapa mais unições enquanto toda a acção, explosão e batalha ocorre nas costas do jogador. Mas de resto nem chega a ser algo REALMENTE incomodante, logo esse é um detalhe que pode ser facilmente passado em branco após o jogador ir apanhando pouco a pouco as técnicas par aguardar munições.

O jogador também pode transformar-se em 98% dos momentos do jogo (Sendo os 2% restantes em raríssimas áreas baixas ou apertadas onde realmetne não é possível ocorrer uma transformação pela falta de espaço, tal como também em alguns outros jogos da saga) e verdade seja dita, o jogador vai passar bastante tempo a transformar-se durante o jogo. As armas também variam do modo veículo para o modo robô, e isso sem contar que se o modo veículo for algum carro ou veículo pesado o jogador pode simplesmenteir atropelando os adversários que encontrar pelo caminho, tal como também pode entrar em hoover mode “planar”- Mais ou menos como o Delorean- O que é realmente uma adição verdadeiramente intressante. Obviamente, como em qualquer jogo de Transformers, também existem jatos, e verdade seja dita, voar com eles é de lonje uma das cosias mais espetaculares no jogo. A segunda missão Decepticon fala por si…

Transformers: War for Cybertron Picture

Além do modo de campanha, também existe um modo de campanha coperativa, onde são as mesmas missões da campanha normal MAS jogadas online em equipas de jogadores, modo esse que eu ainda não testei… Mas por outro lado já testei grande parte do multiplayer.

E como é o multiplayer? Certamente um dos principais pontos fortes do jogo.

Bem, no geral o modo online é basicamente um Call of Duty com robôs gigantes, com armas e perks que se desbloqueiam, killstreak rewards. etc. Dá pra o jogador desenvolver o seu próprio (Ou os seous próprios) personagens podendo escolher entre diversas classes, entre os mais variados estilos de robôs e veículos, defenir as suas armas e “power ups” e até personalizar as cores dos personagens! Claro, não esperem que o multiplayer seja a mesma coisa que as campanhas, onde por cada jogo matam-se 100 personagens de uma vêz- Aqui compete-se contra jogadores obviamente reais, e quando se começa a jogar online pelas primeiras vezes excusado será dizer que jgoos cheios de mortes consequentes são bastante previsíveis- Mas não se preocupem, após se evoluir os personagens do jogador e ir ganhando mais prática, as coisas melhoram! Logo, não se deixem abater pelos primeiros jogos de apenas 2 ou 3 inimigos mortos e 20 vezes destruído pelos oponentes, é apenas o começo… E confiem em mim, após se saber as armas certas e os momentos certos o multiplayer torna-se extremamente fácil, e posso garantir isso em algumas horinhas de prática.

E sim, falo por expriência própria- Não que eu seja um mega-pro com personagens de ranks super evoluídos e com “gandas” abilidades, verdade seja dita, até agora só tenho um cientista e um soldado a nível 2 e um tanker e um líder a nível 3, mas acreditem ou não com as minhas arminhas podres e com os meus poucos power ups, já derrotei a maioria dos pros de níveis quatro ou cinco vezes superiores.

E finalmente existe o modo online de Escalation, que também é online e é praticamente um jogo de survival, onde os diversos jogadores que se juntam vão enfrentando diversas waves de inimigos absurdas, competindo entre si por maiores resultados e mesmo assim no fundo apenas jogando com o sonho de qualquer dia chegarem ao final o mais desesperadamente possível. É certamente um dos modos mais divertidos do jogo!

Transformers: War for Cybertron Picture

War for Cybertron pode não ser menhuma revolução extrema na indústria dos videojogos actuais, ou nem menhum daqueles masterpieces que será lembrado para sempre no wall dos “melhores jogos da humanidade”, mas com certêza é uma revolução extrema quando se trata de jogos de Transformers, sendo de lonje o melhor feito até hoje. Claro, têm algumas falhas, mas comparadas ás falhas de outros jogos da saga, este é sem dúvida o melhor jogo já produzido em toda a franquia.

Nota final: 9/10

Concluíndo, também aconselho sem via das dúvidas o DLC recentemente lançado. Com o monte de coisas que eu deveria postar, não posso garantir uma análise do pack em si, mas porém posso já dizer agora que é espetacular, comprei logo no dia seguinte após jogar o jogo pela primeira vêz e devo admitir, jogar com o Shockwave não tem preço!